A cozinha é o lugar mais reconfortante da casa porque nele encontramos alimento para o corpo e para a alma. Deixe a Natureza entrar na sua e esqueça os produtos feitos pela indústria alimentícia em geral, que não coloca amor nesse ato nem está preocupada com a saúde do seu organismo e o de sua família!

Esse é um dos segredos de manter o bem-estar - não entregue essa função vital a terceiros - ponha a mão na massa, deixe a preguiça de lado e estabeleça como prioridade fazer a comida que vai mantê-lo longe das doenças!

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Arroz

Há milhares de anos o arroz é o alimento básico de mais da metade da população do mundo.
Como a cevada e a aveia, o arroz cresce dentro de uma casca protetora, que tem que ser removida para que se possa utilizar o grão como alimento. Muitos nutrientes se perdem, como o farelo e os gérmens, que são removidos no processo de moagem para obter o arroz branco.
O arroz integral, que consiste de caroços intactos em camadas de farelo tem um valor nutritivo maior do que o arroz branco.
É significativamente mais fibroso, com 1,6g de fibras por meia xícara, em comparação com 0,03g na mesma quantidade de arroz branco.

A título "de progresso", processa-se hoje o arroz nos moinhos, até que fique completamente branco, perdendo com isto muita mais da metade de seu valor nutritivo (pode chegar a 75% de perdas), que está justamente na película escura grudada como revestimento no grão. Isto depois é dado aos porcos no farelo e este animal cresce forte e sadio, enquanto o homem come o alimento empobrecido, o resto, a sobra do arroz. E é justamente o farelo, esta casquinha grudada no grão do arroz, que ajuda a combater a prisão-de-ventre tão comum e prejudicial à maioria das pessoas. Nosso intestino precisa de alimento fibroso, celulose, farelo, para funcionar bem. Arroz branco prende o intestino, pois é rico em goma, cola e gruda nas vilosidades.

Quando se refina o arroz até deixá-lo completamente branco, também o germe é destruído e ele não tem mais vida; é portanto um alimento morto. Mas um grão de arroz integral continua tendo vida e, se for enterrado, germina.

Muitas vezes o arroz branco é tratado artificialmente com glicose e até com parafina, para ficar brilhante e, com talco neutro, para ficar soltinho.

A película, que reveste os grãos do arroz integral, é rica em hidratos de carbono, óleos, proteínas, vitaminas: A, B1, B2, B6, B12, niacina, ácido nicótico, ácido pantotênico, pro-vitaminas C, E e minerais em grande quantidade. Quando é retirada a película, a grande maioria destes componentes/nutrientes se perdem.

Alguns dizem que não gostam do arroz integral ou que ele tem um aspecto feio.

É tudo uma questão de HÁBITO, se você está acostumado há anos com o aspecto e o sabor do arroz branquinho e desvitalizado, terá que criar um novo hábito alimentar e aos poucos descobrir o sabor do verdadeiro grão de arroz.


Como preparar o arroz integral


Existe uma técnica para se cozinhar bem o arroz integral.

Ele leva mais ou menos 20 minutos a mais no fogo do que o arroz refinado.


É saudável deixar os grãos integrais de molho em água antes do cozimento (8 horas no mínimo), para neutraliza os antinutrientes presentes nesses grãos. Antinutrientes são substâncias naturais encontradas em todos os grãos, sementes e cereais e que se não forem neutralizadas, interferem com a absorção dos nutrientes que ingerimos, especialmente minerais como o ferro, zinco, magnésio e cobre.
O líquido no qual o arroz ou outro grão integral fica de molho deve ser sempre desprezado.


Melhor cozinhá-lo em panela de pressão, primeiro alguns minutos, em fogo forte, depois 35 minutos em fogo fraco, cuidando para não queimar.

Desligado o fogo, deixá-lo uns 10 minutos bem tampado e, com isso, ele amolece bem.

A quantidade de água, que vai junto com o arroz na panela de pressão, deve ser o triplo - para cada xícara de arroz, três de água.

O sal marinho, use em pequena quantidade. Já me acostumei a cozinhar o arroz sem sal (ele tem um sabor levemente adocicado) e depois de pronto, coloco um pouco de gersal por cima, fica delicioso!

Para se cozinhar em panela que não seja de pressão: colocar o arroz, a água e o sal marinho na panela ( este, no final do cozimento) e, nesse caso, vai um pouco menos de água do que quando fazemos em panela de pressão.

Primeiro, usa-se o fogo forte por alguns minutos, depois fraco durante uns 45 minutos. Também, deve-se deixar a panela tampada mais algum tempo, depois de o fogo ser desligado para, então, servir.


Panelada de arroz integral

Ingredientes

300 g de arroz integral

1 cebola

1 folha de louro

2 cogumelos grandes

azeite extra-virgem

2 tomates maduros

200 g de ervilhas cozidas

3 CS de shoyu

água para o molho

sal marinho e pimenta a gosto


Como fazer


1 - Numa panela de pressão coloque o arroz integral, a cebola cortada em quatro e a folha de louro. Cubra com água, tempere com sal e pimenta e leve ao fogo por 25 minutos contados do começo da saída de vapor. Após esse tempo, escorra o arroz e reserve.


2 - Corte os cogumelos em pedaços e refogue-os no azeite. Tempere com sal e pimenta, junte o tomate em cubos sem pele e a ervilha cozida. Deixe curtir por 15 minutos. Dilua o molho de soja na água, despeje sobre os cogumelos e aguarde que engrosse cozinhado em fogo lento por alguns minutos.


3 - Em seguida, acrescente o arroz integral cozido reservado, misture e transfira tudo para uma travessa refratária. Leve-a ao forno a 200 ºC, por cerca de 10 minuto. Retire do forno e sirva imediatamente.

3 comentários:

Juliana disse...

adorei este post!
vou alardear 'a vera'
ops heheh
bjs

Vera Falcão disse...

Não vivo sem meu arrozinho integral... hábito mantido desde a época de macrô!
bjs pra vc também

Andre de P.Eduardo disse...

Adorei esse post e até coloquei o linque no facebook - arroz é tudo pra mim hehe.
bjos!